Após pressão de Zanetti, ministro admite estrutura precária na ginástica

26/04/2013 10:08

A semana esportiva começou agitada depois de uma reportagem exibida pela TV Globo no último domingo, na qual o campeão olímpico Arthur Zanetti admitiu a possibilidade de competir por outro país em decorrência das condições precárias de treinamento em São Caetano do Sul. 

Resolvido o imbróglio com o envio de aparelhos de ginástica e musculação para o ginásio, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, reconheceu a infraestrutura a desejar para treinamentos e deu a entender que os investimentos na modalidade seguirão nos próximos anos.

“O ministério visitou as instalações, e de fato precisam melhorar bastante”, disse Rebelo, durante presença em um evento no Estádio do Morumbi nesta quinta-feira. “A prefeitura de São Caetano do Sul fez um esforço de colocar um orçamento no esporte de alto rendimento e vamos melhorar essas instalações, a fim de dar condições para que os atletas disputem em condições semelhantes às de seus concorrentes no plano mundial”, prosseguiu.

Medalha de ouro na disputa da argola nos Jogos de Londres do ano passado, Zanetti já havia se queixado algumas vezes sobre a falta de infraestrutura no centro de treinamento em São Caetano. Depois da exibição da reportagem, no último domingo, nesta quarta-feira foram entregues “novos” equipamentos pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) – eles faziam parte de um centro desativado no Rio de Janeiro.

Rebelo, porém, afirmou que a preocupação com o centro de ginástica da cidade do ABC paulista era antiga. “Eu já havia visitado São Caetano pessoalmente muito antes do noticiário e tínhamos tomado providência para criarmos outro centro de atletismo no Brasil. Vamos ter centros nacionais e regionais, e de ginástica também. Acho que vamos melhorar essa infraestrutura”, emendou o ministro.

A entrega dos novos aparelhos fez com que Zanetti afirmasse que seguiria competindo sob a bandeira brasileira e abdicasse da ideia de se naturalizar. Aldo Rebelo, por sua vez, não mostrou preocupação que outros atletas seguissem o caminho cogitado pelo ginasta campeão olímpico.

“Acho que os atletas disputarão pelo Brasil. O governo tem feito um esforço muito grande para transferir recursos ao esporte olímpico. A presidente Dilma destinou mais de R$ 1 bilhão para a preparação dos nossos atletas além do que já era repassado pelas leis de incentivo”, listou.

http://www.jb.com.br/esportes/noticias/2013/04/26/apos-pressao-de-zanetti-ministro-admite-estrutura-precaria-na-ginastica/